Mundo DSE
Análise fundamentalista para o pequeno investidor em ações

A análise fundamentalista para o pequeno investidor em ações de longo prazo

A análise fundamentalista é uma ferramenta de extrema importância para o pequeno investidor em ações de longo prazo. É através dessa análise que serão identificadas as empresas que provavelmente trarão os melhores rendimentos ao longo do tempo.

O que comprova esta ideia é que no longo prazo as cotações seguem os lucros. Apesar de existirem oscilações de curto prazo, nenhuma empresa mantém cotações altas se os lucros não forem consistentes.

E, para identificar empresas com lucros consistentes, a análise fundamentalista é sem sombra de dúvidas uma ferramenta muito boa. Além de lucros consistentes, pode-se analisar seu fluxo de caixa e o endividamento da empresa.

Contabilidade, a língua dos negócios

Como já foi dito pelo mega investidor Warren Buffet, a contabilidade é a língua dos negócios. Portanto, você não pode evoluir na análise fundamentalista se não souber um pouco de contabilidade.

Mas não se preocupe, você não precisa fazer uma faculdade de ciências contábeis para saber interpretar balanços de empresas. Com um bom livro sobre análise fundamentalista você entenderá como fazer isso de maneira prática e objetiva.

O que você deve fazer é saber primeiro descartar as empresas que não são bons investimentos. Para isso, basta olhar empresas que tenham prejuízos recorrentes.

Se você fosse convidado para se tornar sócio de uma padaria você não ia querer saber se a padaria  desse lucro? Então, para ações é a mesma coisa. Você deve se enxergar como sócio do negócio, o que na prática é realidade.

Sendo assim, para analisar os fundamentos de uma empresa para investir, você deve olhar basicamente o seguinte.

  • Verificar se a empresa tem uma boa lucratividade;
  • Se a dívida da empresa é controlada;
  • Se a empresa tem um caixa saudável.

Tudo isso você consegue ver através dos demonstrativos financeiros das empresas. Vamos ver cada um desses pontos.

Demonstrativos financeiros das empresas

Lucratividade

Para analisar a lucratividade você deve examinar a Demonstração do Resultado do Exercício. É lá que vai estar tudo o que aconteceu com a empresa durante o período analisado.

Quanto a empresa faturou, o que ela teve de despesas de chão de fábrica, o que ela gastou com vendas e despesas administrativas, os juros da dívida que foram pagos e o que sobrou, que é o lucro.

Com base na análise da demonstração do resultado do exercício você já identifica se a empresa é lucrativa ou não é.

Dívida

Para analisar as dívidas da empresa você deve verificar o Balanço Patrimonial. É no balanço patrimonial que vão estar registrados tudo o que a empresa tem e tudo o que ela deve.

É possível ver o quanto ela tem em caixa, o que ela tem devendo em dívidas de curto e de logo prazo, qual o saldo disso tudo. Esse saldo é o que se chama Patrimônio Líquido.

Se a empresa tem um patrimônio líquido negativo, isto é, deve mais do que tem, já é sinal de que ela deve ser descartada como um bom investimento.

Caixa

Para analisar o dinheiro que entra e sai do caixa da empresa é preciso olhar a Demonstração do Fluxo de Caixa. É lá que podemos ver se realmente está entrando dinheiro.

Uma empresa que tem caixa descontrolado acaba se embolando em dívidas e não consegue sobreviver no longo prazo. Por isso é importante analisar o caixa.

Esquecendo as cotações

Uma das coisas que devem ser feitas pelo investidor que segue a análise fundamentalista é esquecer as cotação. Você não deve ver preços para se basear em quais ações investir.

Como já é dito, análise fundamentalista olha para fundamentos da empresa. Se os fundamentos forem bons, a cotação vai subir.

A análise fundamentalista leva em consideração portanto o seguinte.

  • Uma estratégia para formar patrimônio no longo prazo;
  • Avaliação de lucratividade, caixa, dívida e conjuntura econômica da empresa.

O que pode ser feito ainda é a análise da governança corporativa da empresa.

Governança corporativa

Esta análise também pode ser feita como parte da análise fundamentalista. Porém, é a mais subjetiva de todas.

A governança corporativa é o conjunto de processos e melhores práticas que são adotadas pela empresa na sua direção. O objetivo disso é garantir a confiabilidade da empresa para os seus acionistas e o mercado de maneira geral.

Com isso, a transparência, responsabilidade e equidade da empresa aumentam, tornando mais fácil a entrada de novos capitais. Dessa maneira a empresa tende a gerar melhores resultados.

Entretanto, analisar tudo isso é muito subjetivo. Não existem números para fazermos uma comparação, como nos dados contábeis.

Mas, podemos analisar alguns tópicos. Um desses é o segmento de listagem da empresa.

O segmento de listagem diz em qual nível de governança corporativa a empresa está inserida. O nível mais alto é o Novo Mercado.

Para uma empresa fazer parte do Novo Mercado ela já deve seguir várias regras de transparência. Essas regras são muito rígidas e vão além das obrigações legais.

Assim, este é um bom indicador para analisar a governança corporativa da empresa.

Melhores resultados

Concluindo

Para o pequeno investidor em ações de longo prazo, fazer a análise fundamentalista é crucial. No longo prazo, somente as empresas que conseguem sobreviver em seus mercados podem trazer um bom retorno ao acionista.

E no longo prazo, somente empresa com bons fundamentos sobrevivem.

Para fazer uma boa análise fundamentalista é preciso basicamente duas coisas.

  1. Saber um mínimo de contabilidade para analisar lucros, dívidas e fluxo de caixa das empresas;
  2. Verificar se a empresa tem uma boa governança corporativa.

Com isso, bons resultados provavelmente serão atingidos no longo prazo.

Editor

Olá! Sou o faz tudo do site (quase tudo). Apaixonados por internet, adepto das novas tecnologias e webmaster. Aproveite o conteúdo, pois todos os dias estamos postando algo novo. :)

Adicionar comentário