Mundo DSE

Estudo mostra que um em cada três jovens tem problemas sexuais

Estudo mostra que um em cada três jovens tem problemas sexuais
5 (100%) 1 vote
Estudo mostra que um em cada três jovens tem problemas sexuais

Quem pensa nos problemas sexuais como algo que afeta apenas os jovens pode ter que rever conceitos.

Conforme os resultados de um estudo da Inglaterra, jovens entre 15 e 20 anos apresentam quadros que se relacionam à ejaculação precoce ou disfunção erétil.

No Reino Unido uma taxa superior a 31% se equivale ao número de jovens que apresentam problemas para atingir o clímax durante as relações sexuais, assim diz o levantamento do jornal Adolescent Health.

Em outra pesquisa, agora conforme uma das instituições mais capacitadas na Inglaterra para analisar hábitos sexuais, quase 2 mil jovens de 16 a 20 anos concederam respostas, nas quais somente 600 pessoas ainda não eram ativas sexualmente.

Esta mesma pesquisa indica que no último ano, ao considerar as pessoas ativas em termos sexuais, 35% do público masculino e 44% dos públicos feminino indicaram que sofrem de problemas sexuais duradouros, ou seja, que se prolongam por mais de 12 semanas.

Não se pode ignorar o fato de que as questões psicológicas e emocionais também se relacionam de modo direito aos problemas da disfunção sexual, com a maioria das respostas mais tendenciadas ao público feminino.

Ao considerar os homens as principais motivações para a falta de desempenho sexual são disfunção erétil e ejaculação precoce.

Já no caso das mulheres, desinteresse por sexo no momento e problemas para alcançar as sensações orgásticas são os dois fatores que estimulam a falta de motivação em atingir o clímax.

Considerando agora a opinião das pessoas que participaram das pesquisas e não possuem uma vida sexual ativa se pode dizer que 13% indicaram serem ainda virgens por causa de problemas presentes nelas mesmas ou nos parceiros.

Aproximadamente, 49% das mulheres e 38% dos homens indicam que já buscaram algum tipo de ajuda para melhorar a potência sexual, em geral na consulta com amigos, familiares ou fontes de notícias online referentes ao assunto.

Ou seja, somente 6% das mulheres e 3% dos homens jovens se entusiasmam ao ponto de buscar uma ajuda profissional para resolver os problemas de desempenho sexual.

A Barreira do Assunto

De acordo com os autores do estudo, esta relutância acontece por causa de baixo saber dos jovens sobre o tema, assim como pelo estigma social que envolve tal assunto.

“Uma vez que o assunto tem sexo e público adolescente os profissionais de saúde preferem focar mais dedicação nas divulgações de campanhas contra doenças transmitidas de modo sexual ou gravidez na adolescência”.

“Por outro lado, os resultados da pesquisa também apontaram que problemas sexuais como disfunção erétil ou ejaculação precoce não são prerrogativas das pessoas mais velhas”, indica a autora do estudo, Kirstin Mitchell.

Fonte: Veja

Renato

Paulistano, redator jornalístico e publicitário desde 2010. Atuo com conteúdos online para blogs/sites informativos, cartas de vendas e peças publicitárias.

Adicionar comentário