5 Possíveis reações adversas ao fazer uma tatuagem

Tatuagens são muito comuns, mas podem trazer certos riscos para a saúde. A Dra. Marie Leger, dermatologista no Centro Médico Langone, da Universidade de Nova York, nos EUA, estuda as reações adversas possíveis das tatuagens.

Em entrevista ao portal LiveScience, ela disse que é importante conhecer essas potenciais consequências antes de fazer uma. 

Infecções

Um estúdio de tatuagem insalubre pode representar riscos de infecções ao tatuado. Elas podem vir de várias fontes, incluindo o tatuador e a tinta.

Em 2012, houve um pequeno surto de infecções de pele em Nova York. A fonte foi rastreada até um lote de tinta cinza que havia sido contaminada com uma bactéria chamada micobactéria. Neste surto, as espécies envolvidas causaram erupções dolorosas que duraram em alguns casos meses. No entanto, existem micobactérias que podem até causar tuberculose e lepra.

Embora infecções bacterianas sejam o tipo mais comum relacionado com tatuagens, os desenhos permanentes também podem levar a infecções fúngicas e virais, de acordo com Leger. As pessoas podem até mesmo acabar com verrugas.

A dermatologista alerta que, se sua tatuagem ficar vermelha, inchada ou dolorosa, ou começar a drenar, é necessário consultar um médico imediatamente.


Alergias

Mesmo pacientes que não tiveram reação alérgica a sua primeira tatuagem podem mais tarde desenvolver uma, depois de fazer uma segunda ou terceira arte na pele.

Leger descreveu uma paciente que fez uma tatuagem vermelha. Uma década depois, ao fazer um segundo desenho, as porções vermelhas de ambas as tatuagens – a nova e a velha – começaram a coçar e ficar ainda mais vermelhas.
Alergia a tatuagem pode ser difícil de tratar. Aplicações tópicas ou injeções de esteroides, por vezes, podem ajudar, mas em casos mais extremos, a área tatuada da pele precisa ser cirurgicamente removida.


Atraso em diagnósticos

Cobrir sua pele com tatuagens pode disfarçar problemas de saúde, impedindo-os de serem diagnosticados o mais cedo possível.

Por exemplo, existem relatos de tatuagens que cobriram cânceres de pele, incluindo melanomas, carcinomas basocelulares e carcinomas de células escamosas.

Um curioso caso de 2013 foi o de um homem que descobriu um melanoma depois que removeu com laser uma tatuagem. O crescimento canceroso estava escondido por trás da tinta preta.

Tatuagens podem tornar difícil para um dermatologista examinar a pele do paciente a procura de sinais cancerígenos. E Leger informa que, no caso do câncer de pele, a detecção precoce é importante.

Maior efeito da exposição ao sol


Tatuagens podem aumentar o risco de sofrer os efeitos da exposição excessiva ao sol. Para algumas pessoas, tomar sol pode fazer com que suas tatuagens fiquem vermelhas e cocem.

Em um estudo dinamarquês de 2014, os pesquisadores entrevistaram banhistas tatuados e descobriram que 42% relatavam reações adversas. Destas queixas, mais da metade estavam relacionadas a exposição ao sol ligada a inchaços, comichões e vermelhidão.

Leger explica que a tinta amarela pode causar coceira, vermelhidão e pele levantada quando exposta ao sol, por causa do cádmio encontrado nela.

No entanto, outras cores podem causar desconforto. No estudo dinamarquês, por exemplo, as reações cutâneas foram observadas principalmente em pessoas com tinta preta, vermelha e azul em suas tatuagens.

Queimaduras induzidas por ressonância magnética


As pessoas com tatuagens podem ter problemas se precisarem fazer uma ressonância magnética.
Por exemplo, um relato médico de 2011 descreveu um jogador de futebol profissional cuja tatuagem preta “queimou” enquanto ele estava fazendo um exame de ressonância magnética.

De acordo com o estudo de caso, as queimaduras resultaram de correntes elétricas que se formaram no ferro contido na tinta da tatuagem.

Isso foi um alerta importante para todos os tatuados. Pacientes com mais tinta preta em seus desenhos estão em maior risco de queimaduras durante uma ressonância magnética, porque esta tinta contém óxido de ferro. Tintas vermelhas também podem conter ferro. 

O que achou? Deixe seu comentário!

Fonte: LiveScience
Trad.: Hyperciencia


0 comentários:

Postar um comentário