7 Hábitos que você precisa largar para ser feliz

7 Hábitos que você precisa largar para ser feliz
Será que seus hábitos estão sugando sua felicidade? Muitas vezes nos agarramos inconscientemente a hábitos negativos que nos prejudicam causando estresse e infelicidade. Nesse texto rápido você descobrirá alguns hábitos que precisa largar para ser feliz.

E se, ao invés de se agarrar aos hábitos que não funcionam, você pudesse se livrar deles e abraçar mudanças positivas e fortalecedoras? É totalmente possível, mas é necessário identificar estes hábitos rapidamente. Pode não parecer tão fácil inicialmente, afinal trata-se de algo que pode estar enraizado e que você se acostumou, contudo uma vez que se livre deles você sentirá a diferença.

É hora de fazer uma mudança. É hora de abandonar hábitos que não servem e substitui-los. Hoje é o dia perfeito para livrar-se daquilo que te prejudica...

Se preocupar com... Tudo

Se preocupar com... Tudo

A preocupação excessiva é prejudicial à felicidade. A preocupação rouba toda a sua atenção e dá a ilusão de que você está passando por um problema quando você não está. Como Van Wilder diz em O dono da festa: "Se preocupar é como estar numa cadeira de balanço, te dá o que fazer, mas não leva a lugar nenhum”.

Já reparou que hoje tudo é motivo de preocupação? As pessoas se preocupam com todo tipo de coisa e na maioria das vezes por razões insignificantes: para escapar da realidade, por medo do desconhecido, como modo de resistência à mudança, falta de confiança, etc.

Parar sua preocupação, antes de tudo requer prática; quanto mais você fizer isso, melhor você vai se tornar em discernir quando você já não está controlando seus pensamentos e eles estão controlando você. Eckhart Tolle falará dos níveis de consciência que se pode alcançar por meio da simples observação da sua própria mente. Perceber como e o quanto sua mente constrói conceitos, rótulos, palavras e julgamentos que bloqueiam suas relações verdadeiras com o agora.

Para largar o “vício” da preocupação, pergunte a si mesmo o que você pode fazer para tornar “agora mesmo” sua vida mais divertida e interessante e, em seguida, faça isso! Não é tão difícil largar as preocupações que te assombram, basta mudar o seu foco e, consequentemente, seu estado mental. Que maneira melhor de fazer senão tomar iniciativa em direção ao seu desejo? Faça isto e a mudança já estará ocorrendo. Antes que perceba, você já estará assumindo hábitos fortalecedores que irão transformar por completo a sua vida.

Viver no passado

Viver no passado

O passado se foi para sempre e ainda assim nós gastamos tanto tempo pensando sobre o que aconteceu ontem à custa do que poderia acontecer hoje. Manter seu pensamento preso no passado é prejudicial porque impede que você vivencie plenamente o agora. Você é influenciado pelo ambiente, isso é fato. Seu ambiente ajudou a moldar o modo como você pensa e sente sobre si mesmo. É preciso que você entenda que todos nós passamos por enormes desafios que nos são impostos ao longo da vida, mas que isso não significa que tenhamos de nos tornar reféns dos padrões passados.

Se você está guardando ressentimento, raiva, frustração ou outros sentimentos negativos de seu passado, não ignore esses sentimentos. Apenas assuma outra perspectiva, como Tony Robbins diz: tudo depende da significação atribuída a cada situação. Como você representa para você mesmo aquilo que acontece, implica diretamente em como você reage e internaliza as ocorrências. Por exemplo, um fato negativo pode ser interpretado como uma razão para morrer, lamentar e desistir, mas pode também ser encarado com firmeza e determinação, interpretando que isto aconteceu por alguma razão, e que algum dia lhe dará vantagens maiores para se destacar no mundo. Isso diz respeito precisamente ao modo como você comunica as coisas para si mesmo, criando crenças e valores que podem impactar positivamente a sua vida, se assim escolher, é claro.

Julgar os outros


Quando você julga alguém, você sofre. É uma exibição gratuita do sentimento de inferioridade interna e raiva reprimida. Eu sei que é clichê dizer isto, mas é verdade: nenhuma pessoa é melhor do que outra, como pessoa e não em habilidades, é óbvio. O indivíduo que limpa o banheiro em um restaurante não é menos do que um deputado que o utiliza.

Entenda que todos nós somos parte da coletividade. Sua alegria é minha alegria e seu sofrimento é o meu sofrimento. Já ouviu por aí que as emoções são contagiosas? Pois é, por mais que a mídia diga que hoje somos mais insensíveis, continuamos a sentir genuinamente uma grande preocupação e empatia com pessoas sofrendo do outro lado do mundo. 

O budismo fala sobre a pressa de julgamento. A Bíblia também fala que se deve evitar julgar para não ser julgado. Ao realizar um julgamento sobre alguém você se “contagia” nas palavras negativas que profere. Pensando de modo mais amplo, a coisa mais positiva a ser feita seria esquecer tudo, para entender tudo. Como uma criança que ainda não compreende tudo, então não julga, pois não sabe. A pretensão de saber pode ser considerada aqui como chave desse processo, pois na maioria das vezes você fala sem saber quais as experiências de vida da outra pessoa, isto é, o que a fez ser do modo que é. Em função disso, você projeta apenas ilusões e, muitas vezes, suas próprias frustrações que te colocam num estado negativo e infeliz. 

Cultivar a vergonha

Cultivar a vergonha

A vergonha é uma emoção profundamente debilitante e com raízes complexas. Seus primos são a culpa, humilhação, desmoralização, degradação e remorso. Depois de experimentar um evento traumático, seja recente ou num passado distante, a vergonha pode assombrar vítimas de uma forma poderosa e muitas vezes irreconhecível.

Vergonha prejudica o processo de “cura” e recuperação deixando a vítima do trauma congelada, incapaz de perdoar a si mesma por estar no lugar errado na hora errada. Além disso, deixa a vítima com sentimentos de tristeza e dor no âmago de seu ser. Tornando-se incapaz de sentir a plenitude e alegria em sua vida.

Se você sentir, reconheça antecipadamente. Experimente perdoar a si mesmo e deixar de lado a vergonha. Por quanto tempo você carregará a lembrança desse sentimento? Não acha que a vida seria diferente e melhor se você fosse capaz de perdoar a si mesmo? Quanto mais rápido você perdoar a si mesmo, mais tempo você terá para focar sua mente em momentos felizes.

Se comparar com outras pessoas

Se comparar com outras pessoas

É bom olhar vez ou outra para o que os outros estão fazendo, afinal isso é o que nos ajuda a delinear o que queremos e não queremos em nossas próprias vidas. Mas comparar-se com outras pessoas é um tiro no pé uma vez que isso vai te colocar quase que instantaneamente num estado negativo. E você sabe quando isso acontece - quando você para de viver seus sonhos em função da vida alheia. A comparação é perigosa porque conduz a ideia de que todo mundo é melhor do que você. Como diz o ditado popular, “a grama do vizinho é sempre mais verde”, embora muitas vezes não haja qualquer fato que aponte que alguém é melhor do que você, muitas vezes é uma dedução precipitada e sem qualquer fundamento. Pare de olhar para a vida alheia e comece a viver a sua, pois isso é o que realmente te fará feliz. Não se compare, sempre que perceber que está prestes a fazer isso, desvie o seu pensamento para situações e pessoas que te fazem feliz. 

É complexo de perfeição que cria a espiral de negatividade, colocando você num “estado pobre” de recursos emocionais. É simplesmente impossível ser o melhor em tudo durante todo o tempo, afinal sempre existirá alguém melhor do que você em alguma coisa ou vivendo algo que você nem sequer chegou a imaginar, veja que a referência aqui diz respeito a coisas específicas e não como pessoa em si, como já mencionado acima. A comparação mina sua autoestima e produz um sentimento de inferioridade e debilita suas atitudes ao transmitir insegurança... Como disse, coloca você num estado onde você fica estagnado e não contribui para sua evolução pessoal. Não permita que esse momento de fraqueza determine o rumo de sua vida jamais, pois todos já caíram um dia nessa armadilha da comparação, mas é possível livrar-se dela. 

É preciso sim olhar, aprender e aplicar aquilo que as pessoas que você considera bem sucedidas fizeram para chegar onde estão. Em PNL, conforme visto nos trabalhos de Richard Bandler e John Grinder, é preciso apenas utilizar a ferramenta chamada de “modelagem”, na qual você identifica padrões específicos e reproduzíveis na linguagem e comportamento das pessoas que servem de exemplo. Num sentido mais claro, não se trata de determinar o certo ou errado, mas de “estruturar” estratégias mentais e comportamentais das pessoas modeladas de modo a utiliza-las, isto é, aplica-las em contextos que você deseja. Entenda que não se trata de comparação, pois a modelagem vai te proporcionar um estado mais poderoso para agir ao invés de drenar seus recursos emocionais (como ocorre na comparação).

Retomando, compreenda ainda que você é bom em ser você. Você pode não ter orgulho de todas as coisas que você fez no passado, mas tudo bem. O passado não é o presente. Hoje você pode promover mudanças incríveis na sua vida, principalmente utilizando a modelagem como mencionei acima. Quanto mais experiências positivas você tiver, mais feliz será e menos propenso você estará a se comparar. Procure comparar-se apenas com si próprio, pois além de evitar cair num estado negativo, você estará apto a reconhecer e se alegrar com sucesso alheio ao invés de invejar e ressenti-lo.

Ignorar o agora em antecipação ao futuro


De modo geral, quase todo mundo pensa em “passar” esse momento para chegar logo ao próximo, querendo estar no futuro. Isso é um desperdício de oportunidades incríveis de criar, transformar e experimentar coisas que apenas existem no agora.

Alguns exemplos básicos que podem ser citados são: ao tomar um banho, você pode estar pensando sobre aquela xícara de café que você quer tomar, e enquanto você está bebendo seu café, você pode estar pensando em seu trajeto para o trabalho. Outro exemplo mais drástico, enquanto você está com seu cônjuge você pode estar pensando nos problemas do trabalho. Você nunca está conscientemente presente, isto é, nunca está realmente vivendo o agora e, portanto, não pode aproveitar o momento que você está. Em última instância, não é exagero afirmar que você não está realmente vivendo, afinal todo seu foco está dirigido ao que ainda não aconteceu, enquanto isso a vida passa diante de seus olhos, mas você é incapaz tanto de vê-la quanto de desfruta-la. Eckhart Tolle traz infinitas linhas a cerca do que lhe falo aqui em seu poderoso livro O poder do agora. Em um trecho significativo ele diz o seguinte: “a mente está usando você. Estamos tão identificados com ela que nem percebemos que somos seus escravos”.

Essas linhas podem ser bastante libertadoras para você, mas é preciso tomar consciência, não apenas passar os olhos por elas, mas permitir que elas provoquem em você uma mudança. 

O agora é o único tempo que você tem. O agora é a vida. Tenha certeza de estar plenamente presente, pois com o corpo mente e alma alinhados e vivenciando o agora, sua experiência de vida será muito mais significativa e você irá deixar sua marca na vida de outras pessoas dessa forma.

Dizer sim apenas para agradar os outros


Ao contrário do que você pode pensar, dizer "sim" para cada pedido que alguém lhe faz não é bom. Em primeiro lugar, não é bom para você porque isso pode deixá-lo emocionalmente, mentalmente e fisicamente esgotado. E em segundo lugar, não é bom para a outra pessoa, porque você a estimula a pensar que você dispõe de tempo, energia e outros recursos para fazer o que ela quer a qualquer hora e quando você não faz, provoca nela um mal estar.

Geralmente as pessoas que fazem tudo para os outros, mesmo que em detrimento de si, têm baixa autoestima e altos níveis de infelicidade. Por necessitar de validação externa (aprovação dos outros) para sentir alguma dignidade se colocam em situações desesperadoras.

Para combater e se livrar desse tipo de comportamento, aprenda a dizer não. Quando você aprender a dizer “não” para outras pessoas perceberá que na verdade está dizendo “sim” para você mesmo. Estará definindo e assumindo genuinamente que seus interesses são mais importantes que as vontades alheias. Muitas pessoas vivem infelizes por se comprometerem em fazer coisas das quais não tem nem capacidade e muito menos vontade. Não faça isso, antes de tomar uma decisão assegure que não há conflito com seus próprios interesses e compromissos anteriores. Não diga que “sim” apenas para ser bonzinho e legal com todos, pois no final você pode se dar mal de diversas formas, como deve imaginar. Por fim, nunca diga "sim" quando você sabe que tem de dizer "não".

Espero que esse texto lhe sirva tanto para abandonar esses hábitos negativos que citei em tópicos, mas também como base para promover uma nova mentalidade e novos comportamentos positivos que vão sem dúvidas te deixar mais feliz e tornarão sua vida mais significativa. Estarei compartilhando mais ideias em novos textos ainda este ano e no próximo estarei trazendo surpresas para você leitor.

Deixe seu comentário! Abraço e até breve.


0 comentários:

Postar um comentário