7 Invenções surpreendentes feitas por adolescentes

A maioria dos adolescentes estão apenas preocupados em tirar selfies, mandar mensagens ou ir em festas. No máximo, se esforçam para passar de ano. Mas existem, é claro, exceções. Os sete adolescentes dessa lista vão te deixar envergonhado por ter sido tão pouco útil durante sua adolescência.

1. As estudantes do ensino médio que inventaram um ambientador feito de cocô de vaca
Quem iria pensar em criar purificadores de ar utilizando esterco de vaca? A resposta é duas estudantes do ensino médio da Indonésia.

Dwi Nailul Izzah e Rintya Aprianti Miki ganharam o principal prêmio da Olimpíada de Ciências do seu país com seu ambientador alternativo ecológico. O purificador de ar tem uma fragrância natural de ervas e é bom para a saúde humana, pois não contém quaisquer produtos químicos nocivos, como outros purificadores disponíveis no mercado.

As meninas coletaram esterco de vaca de uma fazenda de gado e o deixaram fermentar durante três dias. Então, extraíram água do esterco e a misturaram com água de coco. O líquido foi destilado para remover quaisquer impurezas e o produto final é um ambientador líquido de ar com um aroma natural de ervas digeridas pelas vacas.

2. O adolescente que alega ter descoberto como salvar os oceanos do mundo
Um adolescente holandês inventou um dispositivo o qual ele crê que pode limpar cerca de 20 bilhões de toneladas de resíduos de plástico nos oceanos do mundo.

Boyan Slat, 19 anos, teve a ideia de criar uma série de plataformas de processamento flutuantes projetadas para coletar o lixo plástico do mar. O conceito permite a captura do plástico flutuante sem interferir com a vida de peixes e plânctons dos oceanos.

Enquanto o jovem inventor acredita que os humanos devem dar fim à sua dependência de artigos de plástico descartáveis e gerir os resíduos de forma responsável, a inovação pode fazer uma grande diferença na limpeza dos oceanos a curto prazo.

Slat é agora estudante na Universidade de Tecnologia de Delft. Ele desenvolveu seu conceito enquanto ainda estava na escola e ganhou uma série de prêmios desde então.

3. O adolescente que ganhou um prêmio por sua invenção que transforma CO2 em oxigênio enquanto você dirige
Quem diria que um adolescente começando a aprender a dirigir inventaria um dispositivo para reduzir a poluição proveniente de seu carro?

Param Jaggi ganhou um prêmio da Agência de Proteção Ambiental por sua invenção ecológica que limpa a exaustão do carro que normalmente polui o ar. Com 17 anos, Param teve a ideia depois de ver quanto dióxido de carbono era lançado de um carro. Ele então concebeu um dispositivo chamado “Algae Mobile” que é inserido no tubo de escape do veículo. Através da fotossíntese, as algas no interior do tubo de liga de alumínio convertem dióxido de carbono em oxigênio e o liberam para o ar para os seres humanos respirarem.

4. A estudante do ensino médio que inventou um dispositivo que recarrega seu celular em 20 segundos

Esperar horas para carregar um celular pode se tornar coisa do passado, graças à invenção de Eesha Khare, 18 anos, que ganhou um prêmio de US$ 50.000 em uma feira de ciências internacional pela invenção de um dispositivo de armazenamento de energia que pode ser totalmente recarregado em 20 a 30 segundos.

O dispositivo de carregamento rápido é chamado de supercapacitor, um aparelho que pode conter uma grande quantidade de energia em um pequeno espaço, recarregar rapidamente e manter a sua carga por um longo tempo. Além do mais, ele pode durar 10 mil ciclos de carga-recarga, em comparação com os 1.000 ciclos das baterias recarregáveis convencionais atuais.

Até o momento, Eesha usou o supercapacitor para alimentar um diodo emissor de luz, ou LED. O futuro da invenção é ainda mais brilhante. Ela prevê celulares e outros dispositivos eletrônicos portáteis muito mais independentes das tomadas elétricas.

5. O jovem pai que criou uma chupeta com termômetro embutido
Nativo de Chicago (EUA), Anthony Halmon é apenas um calouro na Universidade de Cornell, mas já ficou famoso graças a uma invenção engenhosa. Em 2013, o jovem pai teve a ideia de criar uma chupeta que funciona também como um termômetro. O produto é chamado de Thermofier. Sua criação é descrita como uma melhoria nos modelos existentes que já estão nas prateleiras.

A preocupação de Anthony, que se tornou pai no último ano de ensino médio, era que ele nem sempre era capaz de dizer se sua filha estava se sentindo bem – principalmente porque bebês não falam. Sua invenção valeu-lhe uma visita à Casa Branca e um encontro com o presidente Obama.

6. O prodígio de 15 anos que criou uma ferramenta de detecção de câncer de pâncreas
Mais de 85% de todos os cânceres de pâncreas são diagnosticados tardiamente, quando o paciente tem menos de 2% de chance de sobrevivência.

Então, em 2011, quando um exame foi desenvolvido para detectar o câncer de pâncreas no início, o mundo da ciência entrou em choque – especialmente porque ele tinha sido desenvolvido por um garoto de 15 anos, e não por um instituto de pesquisa de renome.

Jack Andraka convenceu um pesquisador de câncer a deixá-lo usar seu laboratório para desenvolver sua teoria, tudo isso antes mesmo de ter uma carteira de motorista. Enquanto o exame ainda deve passar por anos de testes clínicos, a indústria da biotecnologia já abriu suas portas para Jack, que venceu 1.500 participantes e ganhou o grande prêmio na Feira Internacional de Ciência da Intel com a sua invenção. O geek recebeu US$ 100.000 (mais de R$ 200 mil) em prêmios.

7. Garota de 11 anos com câncer inventou uma “mochila de quimioterapia”
Quando tinha 8 anos, Kylie Simonds de Connecticut (EUA) foi diagnosticada com rabdomiossarcoma, um câncer dos tecidos conjuntivos. Ela agora está em remissão e se recuperando da doença.
Ao longo de sua condição, no entanto, a garotinha enfrentou muitos obstáculos, como ter que carregar um dispositivo com tubos intravenosos com ela. Kylie tropeçava constantemente nos fios e precisava sempre de ajuda para empurrar o aparelho, muito pesado para ela.
Sendo assim, a menina decidiu inventar uma mochila pediátrica que serve como uma máquina de quimioterapia portátil para crianças. A bolsa vem em diferentes modelos e se chama “I-Pack”.
O projeto de Kylie ganhou um prêmio na Convenção de Invenções de Connecticut em agosto desse ano. Ela patenteou a criação e está tentando levantar dinheiro para colocar a mochila em produção.
Fontes: 1 e 2

Gostou? Então deixe seu comentário!



0 comentários:

Postar um comentário