Redes sociais destroem relacionamentos?

A tecnologia da informação e a vasta aceitação das redes sociais vieram com o propósito de deixar nossa vida mais conectada e, em vários níveis, muito mais fácil. Mas os efeitos colaterais disso são refletidos em um departamento um tanto sensível de nossas vidas: os relacionamentos amorosos.

Uma nova pesquisa mostra que isso é fato: as redes sociais destroem mesmo relacionamentos. O estudo, desenvolvido por Russell Clayton, um estudante de doutorado em jornalismo na Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, teve como foco o Twitter, mas, como as interações proporcionadas por redes como esta são todas muito parecidas, de uma maneira geral, podemos considerar que os resultados valem para todas.

O que ele descobriu empiricamente foi que os usuários ativos no Twitter são muito mais propensos a viver conflitos com os seus parceiros românticos. Os resultados da pesquisa de Clayton também mostraram que brigas relacionadas com coisas que acontecem no Twitter costumam desgastar o casal e até levar a separação e divórcio. Ou seja: não são apenas casais novinhos que não sabem conciliar a vida digital e a vida amorosa. Casais mais velhos, casados, também enfrentam o mesmo problema.

Para realizar esse estudo, Clayton entrevistou ​​581 usuários do Twitter de todas as idades, fazendo perguntas do tipo: “como que frequência você acessa o Twitter?”, “com que frequência você tuíta?”, “com que frequência você acompanha o feed de notícias do Twitter?” e assim por diante, até as perguntas ficarem mais específicas. Por exemplo, “quantas vezes você tem uma discussão com seu parceiro atual ou anterior por usar muito o Twitter?”.

E assim, o jornalista descobriu que quanto mais as pessoas diziam ser ativas no Twitter, mais brigas enfrentavam no relacionamento por conta da atividade na rede social. E ninguém precisa de poderes paranormais para prever o resultado desse embate todo. Os casais acabam mais propensos a trair seus parceiros e/ou terminarem seu relacionamento. De um jeito ou de outro, o resultado não costuma ser bom.
No caso do Facebook, essa máxima é ainda mais frequente. Clayton tem provas para afirmar isso também, porque a rede social mais usada do mundo foi alvo de sua pesquisa anterior. Naquela ocasião, ele descobriu que brigas por conta da atividade digital são muito maiores em casais que estão em um relacionamento sério recente, de 36 meses ou menos. Já no caso do Twitter, os resultados são independentes da duração do namoro/casamento.

“Eu achei interessante que os usuários ativos do Twitter experimentam brigas relacionadas a esta rede social e os resultados negativos no relacionamento acontecem independentemente da duração da relação amorosa”, disse Clayton. “Os casais que relataram estar em relacionamentos relativamente novos experimentam a mesma quantidade de conflitos que aqueles em relacionamentos mais longos”, completa o jornalista.

Conselheiro amoroso
Se você está em um relacionamento sério e vive brigando com o seu amor por causa de um RT mal explicado, ou de um Curtir em uma foto de perfil alheio, o pesquisador Russell Clayton tem um sábio conselho para lhe dar: imponha um limite de uso diário/semanal das redes sociais. Segundo ele, isso pode contribuir, e muito, para que seu relacionamento seja mais saudável, e tenha discussões mais razoáveis.
“Apesar de uma série de variáveis que podem contribuir com a infidelidade e a separação, o uso de sites de redes sociais, como Twitter e Facebook, pode ser prejudicial para as relações”, conclui Clayton. “Por isso, os usuários deveriam se conectar a esses sites de maneira moderada e saudável”.

Outra coisa que o pesquisador ressalta é que alguns casais compartilham o perfil nas redes sociais para tentar reduzir as brigas. Mas será que esse causa alguma mudança na frequência das brigas? O que você acha?
Fontes: 1 e 2
O que achou? Deixe seu comentário!


0 comentários:

Postar um comentário