Ó, negra, não faz assim

Hoje eu completo 1 ano de Mundo DSE! Em comemoração a esse período que me acrescentou muito, um poema de minha autoria em homenagem ao assunto de meu primeiro texto: negros.





Ó, negra, não faz assim

Da tua boca
sinto tanta saudade
que tenho vontade
de pela rua gritar:
minha negra,
cujo requebrado
me deixou embasbacado,
onde tu estás? 


Será que não vês
que estou agonizando
sem teus afagos
e, por dentro, me dilacerando? 


Ou será que gostas
de sofrendo me contemplar?


Ou será que queres,
aos poucos, de mim se afastar? 


Ó, negra, não faz assim
porque, no fim,
eu não quero me machucar!






Sou imensamente grato ao meu chefe, Wlisses Freitas, pela oportunidade que me foi dada, assim como a cada leitor que comentou minhas postagens. O blog nesse último ano cresceu bastante e, se depender de mim, crescerá ainda mais.

Obrigado a toda equipe que faz esse belíssimo trabalho e, em especial, a você, leitor, que confia em nosso blog.

Deixe seu comentário neste artigo e leia o meu primeiro, o qual fez tudo começar: Lado a Lado nos faz refletir sobre o negro no Brasil

0 comentários:

Postar um comentário