Conheça o Carveboard, o surf no asfalto

Pensando em uma forma de sair da rotina? Talvez encontrar um novo hobbie? Esse post é dedicado aos amantes do Carveboard e também para você que não conhece este belo esporte, mas acho que quando conhecer vai ter vontade de praticá-lo e ele será seu mais novo passatempo.

Na mesma Califórnia onde surgiu o skate no início dos anos 60 como alternativa ao surf em dias em que não houvesse ondas, nasceu - coisa de trinta anos depois - uma versão ainda mais surfável que vem conquistando um muitos de fiéis praticantes ao redor do mundo. É o carveboard, prancha sobre rodas que lembra um longboard com o diferencial de possuir pneus no lugar das rodinhas e um sistema de articulação que permite manobras rasgadas, ziguezagues, entre outras radicalidades até então privilegiadas ao surfista. "Os trucks possuem molas que possibilitam uma inclinação de 45 graus na ladeira, a mesma que um surfista alcança ao cavar uma onda", conta Pedro Rafael, o Elchavo da equipe Cavernosos (Rio de Janeiro), praticante da modalidade desde 2006.

O protótipo do brinquedo foi bolado em 1996 pelo designer industrial Joe Gerlach, pai do surfista Brad Gerlach, na tentativa de ajudar o filho a treinar em dias de mar flat. Não demorou muito e a invenção foi parar nos pés de renomados das ondas, como Tom Curren e Dan Malloy, ganhando projeção durante a primeira década dos 2000. No Brasil existe há praticamente dez anos, sendo hoje considerada uma categoria em desenvolvimento. "Como um esporte amador, ainda está se encaminhando para formar uma estrutura forte", diz Pedro.

Destaque no circuito paulista, o jovem Felipe Nascimento conheceu o carve faz apenas nove meses, mas já se sente suficientemente enraizado. "É um esporte que pretendo carregar pro resto da vida", diz entre passadas pela ladeira no Parque da Independência, zona sul de São Paulo, uma das mais frequentadas por adeptos na cidade. A sensação de deslizar sinuosamente as descidas é o grande barato. "O carveboard é 100% surf, é como trocar o mar pela ladeira", garante Elchavo.

Maneirar na velocidade é um passo importante pra quem pensa em começar. "Com os pneus vazios, o carveboard não desenvolve na ladeira. Isso para o iniciante é excelente, pois começa a se familiarizar com o brinquedo de forma segura", aconselha o membro da Cavernosos. Aprofundar o conhecimento do esporte também ajuda. Na página da ASCARVI, primeira associação de carveboard fundada no Brasil, em fóruns no Yahoo Grupos  é possível encontrar informações sobre modelos, peças, manobras e eventos de quem curte tirar uma onda sem se encharcar.

As principais manobras:
Cavada: Posição clássica do surfe. Curva acentuada em que o shape (prancha) fica bastante inclinado.

Rasgada ou “slide”: Quando o praticante está chegando próximo a um obstáculo – um fio de pedra, por exemplo – e gira rapidamente no sentido oposto, fazendo com que os pneus derrapem.

Lay back: Rasgada com uma ou as duas mãos no shape.
Tubo: Quando o carver passa por baixo de um obstáculo a meia altura, simulando estar dentro de uma onda.
Bottom Turn: curva acentuada com uma das mãos no solo.

Equipamentos de segurança:
No Carveboard é importante ressaltar o uso de equipamentos de segurança, para amenizar o contato com o solo, veja abaixo os equipamentos mais utilizados:

Capacete;
Luvas;
Cotoveleiras
Joelheiras

Dicas/Curiosidades:
A calibragem dos pneus pode ajudar na performance. Quanto maior a calibragem maior a velocidade e menor a aderência, quanto menor a calibragem menor a aderência e velocidade.

O ideal para o iniciante sé começar a rodar com os pneus mais secos (mínimo de 8 libras), para controlar melhor o carveboard.

Para evitar assaltos, sair para praticar com amigos, de preferência de carro e principalmente, peça a proteção de Deus.

Confira algumas imagens achadas no Google:










O carve exige pouca manutenção. Praticamente apenas a troca dos pneus e a troca e lubrificação das molas.
Vídeos de Carveboard: Em uma pesquisa achei alguns vídeos que traduzem o que é a prática do Carveboard, confira nos vídeos abaixo e deixe seu comentário sobre o que achou deste Esporte Radical.










O que achou? Deixe seu comentário!

Fontes: 1 | 2  


0 comentários:

Postar um comentário