Reflexões sobre relacionamento

Será que um relacionamento pode preencher os vazios na alma? Aqueles vazios que quando preenchidos costumamos denominar de “felicidade”, Ou o relacionamento é mero reflexo de identidade.


Costumamos inferir um significado embelezado ao relacionamento que construímos, alguns afirmam com toda certeza do mundo que isso é o real, dando um modelo para determinar o que é um relacionamento. De alguma forma isso acaba impregnando uma falsa imagem e como resultado temos pessoas que acreditam que para uma relação vir a ser considera boa e para que a própria pessoa seja feliz, tem que se prender àquela conceitualização dos filmes e novelas, onde a outra pessoa corresponde a tudo aquilo que é sonhado, tudo que é fruto dos desejos mais profundos.  Em certa medida quase todos já ouvimos ou assistimos essas histórias, alguns até idealizam isso, mas vincular sua vida a isso é um sinal claro de que você não está lidando com a realidade, mas idealizando-a com fantasias absurdas. Piores serão suas frustrações quando se chocar com os fatos trágicos que você prefere, ou em alguns casos, não consegue enxergar.

As principais frustrações, desentendimentos e até mesmo a ruína do relacionamento possuem um denominador comum em boa parte das vezes, porém há situações me que é impossível ver isso, pois é complicado demais, principalmente porque para conseguir perceber é preciso um nível profundo de reflexão, olhar para a raiz, é preciso olhar para seu interior para compreender aquilo lhe aflige externamente. O pior é que muitas vezes isso nem sequer é bem aceito, já que é o costume uniforme sempre dizer que o problema é a outra pessoa, nunca você.

Com o passar do tempo desenvolve-se naturalmente uma necessidade de conferir uma imagem a pessoa com que você está, isto é, através do período e quanto mais longo esse for, é construída uma imagem ou padrão comportamental que a pessoa que você está pode ter. Qualquer atitude que venha a quebrar esse padrão é um crime inaceitável para você, muda aquilo que você sente e por conseqüência também contribui para o aniquilamento do próprio relacionamento. Veja só que absurdo da sua parte, tentar delimitar o próprio pensamento e comportamento que a pessoa que você supostamente ama pode ter, todos, inclusive você, passam por processos de mudança, incluindo emocionais, então algumas vezes é algo totalmente natural do ser humano agir de maneira diferente, sendo que até mesmo você já fez isso, pode até não lembrar ou preferir negar, mas já o fez. Então nesse ponto surgem alguns questionamentos, será que isso é um problema dessa pessoa? Ou será que o problema é você? Será que é difícil para você enxergar que essa pessoa não é um objeto estático na linha do tempo, não, ela possui uma consciência, sentimentos e conflitos internos, alguns que excluem você, mas você prefere bitolar-se a uma só perspectiva.

Além do que já foi citado o tempo também gera outras expectativas irreais em relação as suas próprias necessidades e as da outra pessoa. Algumas mulheres reclamam que seus companheiros não são atenciosos/carinhosos, mas em alguns casos não seria esse pensamento um mero reflexo de um problema interno como baixa auto-estima que cria essa expectativa que posteriormente desenvolve a necessidade de provação, uma carência que jamais poderá ser preenchida. Falamos sobre mulheres, mas e os homens? Calma, vamos chegar lá. Um olhar rápido pode não tornar tão visível a importância que tem esses meros detalhes, mas não se engane, pois é nos detalhes que se constrói uma grande arte e desenvolver um relacionamento saudável não é uma tarefa tão fácil como alguns imaginam, até porque se fosse não haveria tanta gente procurando ajuda através de dicas ou consultando profissionais. Chegando a parte dos homens... Geralmente o que mais se vê é que os caras reclamam muito por acharem que as companheiras cobram demais, tem muitos amigos ou não o tratam como acreditam merecer. As perguntas que ficam são as seguintes: Será que realmente a cobrança de uma mulher não possui fundamento algum? Geralmente tais exigências não significam insatisfação, afinal ninguém reclama de algo que está bom, certo? E quanta as amizades, a desconfiança é um projeto que se constrói a todo instante e quando bem trabalhado tende a dar um resultado incrível, alguns dizem explosivo até. Claro que cada possui um possui dinâmica diferente, se ela já mantinha certo vinculo(s) antes de conhecer o companheiro, tudo bem ou tudo mal, pois nesse ponto tão delicado cabe usar o bom senso, afinal se tal amizade já existia e não foi dado nenhum sinal de que a linha limite foi cruzada, então essa desconfiança tola nada mais é do que se não uma mera manifestação de profunda insegurança. A pergunta chave sobre a insegurança que você deveria se fazer: “Será que é justo usar como escudo emocional e minhas fraquezas?” 

Outro aspecto importante que não deve ser ignorado é a disposição e entrega. Todo relacionamento é construído numa via de mão dupla. Por essa razão jamais se deve exigir aquilo que você não oferece. Com certeza você já deve ter ouvido aquele velho ditado popular que diz: “É dando que se recebe.”, não é? Então, isso é verdade até certo ponto, mas é preciso também analisar um aspecto importante para não generalizar a coisa. Cada pessoa tem cada pessoa tem nível de disponibilidade diferente, assim sendo, aquilo que ela pode oferecer também varia. É muito importante entender isso para evitar futuras decepções. Tendo isso em mente você pode determinar quem realmente merece estar na sua vida, ou seja, passa a ser evidenciado quem tem significado importante para você.
Por outro lado se é você que não se doa o suficiente, se é você que, mesmo estando ao lado de uma pessoa que é capaz de mover céus e terra por você não é capaz ou não tem disposição para fazer o mesmo, então você é uma pessoa fraca que não tem força para lutar por quem luta por você, defender quem te defende, amar quem te ama e está do seu lado. Ou você é um(a) parasita que tudo que faz na relação é sugar. Mantenha na cabeça que um relacionamento em que um se doa muito e o outro, pouco, tem apenas um resultado: desequilíbrio.

A construção de um relacionamento duradouro, saudável e que impulsione sua felicidade individual que reflete naquilo que se desenvolve em conjunto não é tão fácil quanto parece, mas também não é uma tarefa impossível como alguns pensam. Todos os aspectos aqui tratados são importantes para atingir seus objetivos, mas incapazes de realizar, é preciso uma reflexão com foco direcionado e em seguida derivar ações agora lúcidas e enriquecidas pelas suas próprias analises e conclusões. Um relacionamento é algo dinâmico, portanto, em constante movimento que pode resultar em uma experiência extraordinária, desde que haja um envolvimento e interesse para isso.


Abraço.



0 comentários:

Postar um comentário