A emocionante história de Aimee Copeland

Aimee Copeland é uma jovem que foi vítima de uma bactéria responsável por comer partes de seu corpo. Quer saber mais sobre sua emocionante história? Clique e confira!


O caso da jovem Aimee Copeland, 24 anos, vítima de infecção rara, que leva à necrose em sua pele e músculos, comoveu os Estados Unidos e o mundo. Ela teve as mãos, uma perna, o pé da outra perna e parte do abdomen retirados por médicos para que fosse salva de uma bactéria que come sua carne. A estudante da Universidade do Oeste da Georgia contraiu a rara doença, no dia 1º de maio de 2012, após cortar sua perna em um acidente. Ela tentou passar por um rio com uma tirolesa, mas caiu. Os médicos fecharam o ferimento com 22 pontos, mas dias depois a condição dela piorou e teve que ser internada em um hospital, onde foi feito o diagnóstico. 

Segundo o Jornal The Washington Post e a agência AP, a irmã da jove, Paige, foi a primeira da familia a conversar com. No Facebook, o pai - Andy Copeland - disse: "Nosso bebê consegue falar."
De acordo com a rede de TV CNN, o pai "decretou" o dia 27 de maio, quando a filha voltou a falar, como o "Aimee Day" 9Dia da Aimee). A TV afirma que a jovem estava comunicativa e lúcida, contando piadas à família. "Ela abanou com o braço no ar e disse 'esses dedos funcionam com mágica.'. Ela sorriu para nós. Ela sabia que não tinha mais dedos, mas não ficou preocupada com isso", diz o pai.

São muitos os tipos de bactérias que causam a condição conhecida como fasciite necrosante, na qual a bactéria ataca o tecido saudável e o destrói. Uma delas, a Aeromonas hydrophila, causou a infecção em Aimee depois de entrar em seu corpo pelo corte acidental. Um das características que mais surpreendeu a família da jovem foi seu senso de humor com a situação. O pai descreve ao jornal “The USA Today” que ela conta piadas o tempo todo. “Eu ri de algumas coisas que ela havia falado e disse ‘Aimee, você é tão preciosa quanto a Mona Lisa’”, o pai afirma então que a jovem cobriu as sobrancelhas com o braço e brincou: “eu não sou como a Mona Lisa. Ela não tem sobrancelhas”.


Agora, veja fotos de Aimee:


 
 

 





A história de Aimee, além de ser comovente, nos ensina bastante, à medida que nos faz refletir sobre a nossa vida. Talvez, suas queixas, seus problemas, suas dores nem sejam tão grandes e insuportáveis assim. Talvez, sua vida seja maravilhosa e você seja incapaz de perceber isso. 

Aimee teria todos os motivos para não sorrir, no entanto sorrir é o que ela mais faz. E você? Sorri o bastante ou está preocupado demais em realizar queixas?
 
"Eu estava triste por não ter sapatos, até que um dia encontrei um homem triste porque não tinha pés." Anônimo 


O seu comentário é muito importante, então deixe-o!
Abraço!

0 comentários:

Postar um comentário