Adeus promessas velhas, feliz promessas novas

O ano está acabando e como é praxe, surgem promessas que costumamos fazer, mas nem sempre costumamos cumprir. Ano a ano, as promessas são renovadas.
O pior é que muitas se repetem.  Estamos obstinados a mudar, até planejamos. Mas quando chega o momento de agir, postergamos até o fim de mais um ano. A preguiça de agir sobressai à atitude. Apostamos em novas dietas, academia, roupas, viagens e esquecemos coisas simples e bem mais eficazes.

A mídia noticiou recentemente uma chacina, em uma escola. Várias crianças inocentes perderam sua vida, por um ato que até agora não foi muito bem explicado pelas autoridades competentes. O fato aconteceu em um período em que normalmente as famílias procuram se unir, para celebrar as tradicionais festas de fim de ano. Muitos usam esta época para manifestações, tais como abraços, beijos, pedidos de perdão, entre muitos outros.

Por que esperar por uma data especifica, para demonstrar afeto para alguém? Por que sempre esperar a atitude do outro? Muitas vezes, perdemos oportunidades por conta de bobagens. Perdemos tanto tempo fazendo promessas de mudanças para um novo ano e esquecemos que a mudança pode ser feita agora. Um simples “bom dia” ao colega de trabalho, esquecido pela pressa do cotidiano, uma ligação para aquele amigo que há tempos não vê ou até mesmo uma “cutucada” naquela pessoa que desperta seu interesse, mas que você não tem coragem de se aproximar pessoalmente. Uma pequena atitude pode representar uma grande mudança.

Esperar uma oportunidade futura e esquecer o presente, não é uma atitude muito sensata. Como dizia Shakespeare “O terreno do amanhã é incerto demais para os planos”. Vamos trocar planos e promessas pelo hoje? Antes que o fim do mundo (ou pelo menos o fim do ano) chegue e as oportunidade futuras que tanto esperamos, fiquem no passado. 

0 comentários:

Postar um comentário