Top 8 mitos sobre sexo

Embora o sexo seja uma parte fundamental do estilo de vida humano, ainda existem muitos mistérios que cercam o que acontece dentro de quarto.

E, o que é pior, há um monte de informações enganosas que você pode ouvir de amigos (ou ver na Internet) que pode realmente ameaçar a sua saúde sexual. Leia como foram desconstruídos os oito maiores mitos sobre sexo.

Mito 1: Sexo faz mal a saúde
O sexo faz muito mais do que apenas fazer você se sentir bem. Estudos têm mostrado que o sexo regular está associado a um sistema imunitário melhor, um coração mais saudável, e um risco reduzido de certos cânceres. Além disso, já foi provado que o sexo baixa os níveis de estresse e até mesmo queima calorias - uma mulher com 68 quilos queima cerca de 90 calorias durante 30 minutos de sexo.

Mito 2: Você não pode engravidar na primeira vez que tiver relações sexuais
Sempre que você tem relações sexuais, há um risco de gravidez. Claro, usando contraceptivos, como pílulas anticoncepcionais e preservativos, você reduz significativamente este risco. Independente se é sua primeira ou sua 500ª relação sexual, se uma mulher está ovulando, há uma possibilidade de gravidez, mesmo que o homem retire o pênis antes da ejaculação (ver Mito 8).

Mito 3: Masturbação causa acne e outros problemas de saúde
Existem vários mitos que cercam a masturbação - que causaria infertilidade, acne, e até mesmo cegueira. No entanto, pesquisas nos mostram que nada disso é verdade. A masturbação pode ser parte de uma vida sexual normal e pode até deixá-lo se sentindo mais à vontade com seu próprio corpo.

Mito 4: Sexo oral é mais seguro do que o ato sexual propriamente dito
Mesmo que uma mulher não possa engravidar através do sexo oral, há um grande risco de contrair várias doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), incluindo a AIDS, hepatite B, sífilis e o papilomavírus humano (HPV). A única maneira de prevenir completamente a DST é praticar a abstinência ou estar em um relacionamento monogâmico com alguém que não está infectado. Para reduzir o risco dessas doenças, use camisinha toda vez que você praticar em sexo oral.

Mito 5: A pílula faz você ganhar peso
Uma das maiores preocupações que as mulheres têm quando tomam a pílula é que ela pode levá-las a ganhar peso. No entanto, vários estudos mostram que é improvável que pílulas anticoncepcionais façam você engordar. Podem, no entanto, fazer com que você retenha água, especialmente em seus seios, quadris e coxas, fazendo você se sentir um pouco mais pesada. Isso é mais comum nos primeiros meses em que se está tomando uma nova pílula. Converse com o seu médico, caso você perceba um ganho significativo de peso.

Mito 6: Os preservativos protegem contra todas as DSTs
O uso de preservativos pode reduzir significativamente o risco de contrair uma DST. No entanto, o erro humano pode alterar sua eficácia. Se o preservativo se romper ou rasgar, você terá risco de contrair uma DST, como herpes e papiloma vírus humano (HPV), que são adquiridas através do contato pele-a-pele. Entrar em contato com áreas não cobertas pelo preservativo pode também colocá-lo em risco.

Mito 7: A disfunção erétil faz parte do processo de envelhecimento
Embora a disfunção erétil se torne mais comum com a idade, não é uma parte inevitável do envelhecimento, e os homens jovens também podem ter problemas com o desempenho sexual. Para que um homem tenha uma ereção, cérebro, hormônios, emoções, nervos, músculos e vasos sanguíneos devem trabalhar todos juntos.Fatores psicológicos como o stress e a depressão, bem como condições crônicas como diabetes e doenças cardíacas, podem afetar o desempenho. Até mesmo fatores relacionados ao estilo de vida do homem, como beber álcool e fumar, podem afetar seu desempenho sexual. A melhor maneira de prevenir a disfunção erétil é manter-se saudável: tendo uma dieta nutritiva, fazendo exercícios regularmente e mantendo um peso saudável.

Mito 8: O método do coito interrompido é uma forma eficaz de controle de natalidade
Como todos os métodos de controlo de natalidade, a sua eficácia depende das pessoas que o utilizam. Retirar o pênis no tempo correto exige paciência e prática, e mesmo quando este procedimento é realizado corretamente todas as vezes, ainda existe risco de gravidez. A pré-ejaculação, pode conter espermatozoides, o que pode causar a gravidez, e usar o método do coito interrompido não o protege de doenças sexualmente transmissíveis.


Gostou? Então deixe seu comentário!
Fonte: Uol


0 comentários:

Postar um comentário