Conheça os 10 melhores filmes de Jim Carrey

James Eugene Carrey é sem dúvida alguma um dos comediantes mais conhecidos e memoráveis do cinema. Confira agora os 10 filmes de mais sucesso atoados pelo grande "Jim Carrey"!

ACE VENTURA - UM DETETIVE DIFERENTE
(Ace Ventura - Pet Detective/EUA)

Ano: 1994
Dirigido por: Tom Shadyac
Jim Carrey ficou conhecido, acima de tudo, por sua flexibilidade facial nos caras e bocas. Gênio em imitações e caretas das mais variadas podemos chamá-lo de: O Jerry Lewis do presente, já que Lewis também era outro ator/comediante que trabalhava muito as expressões. Entretanto, para mim, acho Carrey bem mais variado e divertido que Jerry Lewis. Tudo bem que Lewis não é da minha época e que no seu tempo todos o adoravam e tal, só que, avaliando os caras e bocas dos dois atores, veremos que Jim Carrey varia e mostra possuir um repertório mais eclético e divertido. Suas imitações de Clint Eastwood, Jack Nicholson, E.T O Extra Terrestre são somente algumas das mais engraçadas caretas do astro. E um dos seus papeis mais conhecidos e que na época o filme acabou massacrado pela critica, mas hoje, é super lembrado e apreciado pelo público, foi na pele do detetive de animais Ace Ventura.
Ace Ventura é totalmente caricato. O ator em todo momento, seja no falar ou no andar, usa e abusa das caretas e do exagero. Mas isso é o que faz Ace Ventura ser tão memorável. É forçado? Sim. Mas é o estilo do personagem e Carrey consegue tirar ótimas risadas com situações exageradas e ótimas caretas.

O filme pode não ser uma obra prima, mas conseguiu sobreviver ao tempo e se tornar um dos trabalhos mais conhecidos do ator.



DEBI & LÓIDE - DOIS IDIOTAS EM APUROS
(Dumb and Dumber/EUA)

Ano: 1994
Dirigido por: Peter e Bobby Farrely

O começo de carreira de Jim Carrey foi simplesmente ótimo. O astro, a cada trabalho, vinha ganhando mais fama e potencial cômico estrelando uma sucessão de comédias de sucesso. Uma delas e que até hoje é super lembrada é o excelente "Debi e Lóide - Dois Idiotas em Apuros". Dirigido pelos irmãos Farrely, Debi & Lóide ousava no escracho e não tinha medo nem pudor de exagerar na dose. Jim Carrey está ótimo e hilário junto com o também ótimo Jeff Daniels. Além da ótima química entre os protagonistas, o filme também é sempre dinâmico e sem tempo para melodrama.


O MASKARA
(The Mask/EUA)

Ano: 1994
Dirigido por: Chuck Russell

Talvez este seja o filme que consolidou Jim Carrey no mercado Hollywoodiano. A crítica não curtiu muito não e concordo que seja um filme falho. Mas, apesar dos deslizes, O Maskara foi um dos grandes marcos da minha infância. Um sucesso de público, ficando entre as 10 maiores bilheterias daquele ano, Jim Carrey viu seu nome passar de “mais um ator de comédia” para a ala dos mais requisitados de Hollywood. E sem dúvida alguma, é difícil pensar em outro ator para encarnar o Maskara.
Baseado em uma série de histórias em quadrinhos publicada no final dos anos 80, The Mask nunca fez muito alarde. Nos quadrinhos, quando o personagem Stanley Ipkiss colocava a mascara, ele não virava um arruaceiro brincalhão e sacana como no filme, e sim, uma figura violenta e vingativa. Com medo do público não comprar a idéia, acabaram mudando toda a estrutura dos gibis para o que conhecemos hoje.

Não sabemos se do outro jeito, o jeito dos gibis, daria certo. Entretanto, podemos concluir que O Maskara fanfarrão, dançarino e cômico foi um enorme sucesso nos cinemas e que o público, sem dúvida alguma, curtiu assistir um anti-herói de mascara verde com poderes de transformação.

Eu sou fã de Jim Carrey neste filme, principalmente nos números musicais, e acho “O Maskara – O Filme” uma comédia meio musical irresistível. E de mesmo modo, inesquecível para mim.


O SHOW DE TRUMAN
(The Truman Show/EUA)
Ano: 1998
Dirigido por: Peter Weir

Dentre tudo que Jim Carrey vinha mostrando até aqui, O Show de Truman foi a primeira grande surpresa de sua carreira. São poucos comediantes que conseguem sair do gênero comédia, entrar no drama e ser dar bem. E Jim Carrey não só conseguiu esse feito como também foi capaz de nos emocionar tanto neste O Show de Truman como em outros trabalhos sérios que veremos mais a frente.

Aqui em O Show de Truman, o ator interpreta um sujeito com uma vida normal que nem desconfia que tudo aquilo em que vive é pura mentira. Chamado Truman, ele pouco sabe que foi, desde criança, parte de um reality show onde esteve confinado dentro de um mundo cenográfico toda sua vida. E uma das coisas mais tocantes deste exemplar trabalho de Peter Weir, é que aqui, ele mostra o poder da mídia sobre a sociedade, a busca pela liberdade e a vida. E a pior coisa do filme é que, quando acaba, ficamos com um gostinho de quero mais querendo saber o que irá acontecer com o personagem agora no mundo real. 


O MUNDO DE ANDY
(Man On The Moon/EUA)

Ano: 1999
Dirigido por: Milos Forman

Logo após O Show de Truman, no ano seguinte, Carrey vinha com mais um filme onde, apesar de narrar à vida de um comediante, é puro drama. Aqui, o diretor Milos Forman nos apresenta a vida real do excêntrico comediante Andy Kaufman, e Carrey consegue estar ainda melhor e mais a vontade no papel. E fico indignado só de lembrar que Carrey nem recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Ator por seu trabalho aqui. Pelo menos valeu a pena o seu segundo Globo de Ouro, após este ter ganhado no ano anterior por O Show de Truman.


EU, EU MESMO E IRENE
(Me, Myself and Irene/EUA)

Ano: 2000
Dirigido por: Peter e Bobby Farrely

Eu não sei o que alguns críticos têm contra este “Eu, Eu Mesmo e Irene”, falando que é um deslize na carreira dos irmãos Farrely, que antes, haviam feito filmes de grande sucesso, tanto de público quanto de crítica, como “Debi e Lóide” e “Quem Vai Ficar Com Mary?”.

Uma das marcas registradas dos irmãos Farrely é o escracho. Eles não possuem medo de ousar nas piadas e por isso, fazem ótimas e memoráveis comédias. Neste “Eu, Eu Mesmo e Irene” acho Carrey melhor do que nunca em um papel 100% cômico. Ele consegue arrancar ótimas gargalhadas, pelo menos de mim, em muitos momentos. As cenas onde ele luta contra ele mesmo, ou tentando matar a vaca ou quando ele tem a primeira mudança de personalidade são marcantes. Gosto bastante deste filme e recomendo!


CINE MAJESTIC
(Cine Majestic/EUA)
Ano: 2001
Dirigido por: Frank Darabont

Este drama de Carrey não fez tanto alarde como os anteriores de sua carreira. Porém, considero sua grande homenagem ao cinema este Cine Majestic.


Aqui, Carrey vai parar, após um acidente, em uma cidadezinha onde é confundido com Luke Trimple, filho do dono da sala de cinema local e que foi dado como morto na Segunda Guerra Mundial. Depois daí, teremos as lições de amor, de vida, superação, mas tudo, transmitido com muita beleza e leveza. Carrey está ótimo e emociona ao lado de Martin Landau (seu “pai” no filme).


TODO PODEROSO
(Bruce Almighty/EUA)

Ano: 2003
Dirigido por: Tom Shadyac

Engatando o sucesso de seus filmes anteriores Jim Carrey, em 2003, retorna com seu estilão habitual em filmes de comédia. As críticas foram mistas, mas o sucesso foi enorme. Todo Poderoso ficou entre as 10 maiores bilheterias do ano e ainda, deu gancho para uma continuação não tão eficiente como a original, e ainda sem Jim Carrey.
Eu, particurlamente, não me canso de rever, e rever e rever este Todo Poderoso. Não acho que o filme seja uma ofensa a Deus como muitos pensam, e sim, que é um filme que nos ensina a não brincar com a palavra, não questionar e culpar Deus e, acima de tudo, não pensar só na gente. Claro que o roteiro ensina isso usando uma situação que nunca iria acontecer, porém, o cinema possui justamente este poder de ensinar com aquilo que na vida real é impensável.

Encerrando então, gosto deste Todo Poderoso, Jim Carrey está ótimo e o filme possui sequencias hilárias. O problema é o dramalhão do final que desanima qualquer um.


BRILHO ETERNO DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇAS
(Eternal Sunshine of the Spotless Mind/EUA)
Ano: 2004
Dirigido por: Michel Gondry

Mesmo com filmes dramáticos no currículo como os já comentados “O Show de Truman”, “Cine Majestic” e “O Mundo de Andy”, Carrey nunca estrelou um drama tão denso, pesado e complicado como este Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças. O ator se entrega como nunca, muda sua maneira de andar, de falar e transmite uma emoção fora do comum. Ouso em dizer que Carrey merecia não só ser indicado, mas sim, ter ganhado o Oscar por este trabalho impecável. Com “Brilho Eterno” ele se firma como um excelente ator de dramas. 


Mas é uma pena que a Academia tenha ainda preconceito com comediantes, mesmo quando estes, de vez em quando, são capazes de surpreender com filmes diferentes do habitual. 


AS LOUCURAS DE DICK E JANE
(Fun With Dick and Jane/EUA)

Ano: 2005
Dirigido por: Dean Parisot

Para encerrar o top 10 eu escolhi este As Loucuras de Dick e Jane. Não coloquei outras comédias que gosto do ator, como “O Mentiroso” ou “Sim Senhor!”, pois acho que este As Loucuras de Dick e Jane possui algo mais. E esse algo mais é uma seria critica aos EUA e sua economia e a o ambiente caótico e problemático que muitos norte-americanos têm passado com a crise e tudo que vêm acontecendo nestes últimos 11 anos.

E em “As Loucuras de Dick e Jane” é super divertido acompanhar o que acontece com os personagens de Carrey e Téa Leoni, e o melhor de tudo, é saber que aquilo tudo, mesmo sendo transmitido com certa comicidade, é a pura realidade dos Estados Unidos. Sem duvida, é uma comedia de conteúdo com um Jim Carrey contido e não tão exagerado e com um humor leve e bacana de assistir.

Jim Carrey com o seu segundo Globo de Ouro ganho pelo filme "O Mundo de Andy (1999)"

Jim Carrey como Charada no filme "Batman Eternamente" de 1995

Jim Carrey entregando o Oscar Honorário para Blake Edwards, diretor de filmes como "Bonequinha de Luxo (1961)" e "A Pantera Cor de Rosa (1963)"


Fonte: Lumi7



0 comentários:

Postar um comentário