Conheça os 7 piores empregos do mundo

Todos precisam trabalhar isso é fato, mas existem empregos que são muito, muito ruins. Conheça nesta lista uma pesquisa que mostra os supostos 7 piores empregos do mundo!


• Zelador de cinema pornô
 Ser zelador já não é dos trabalhos mais legais do mundo. Porém, zelador de cinema pornô é tão péssimo que ficou em primeiro lugar na nossa lista. A principal responsabilidade deste trabalhador é limpar a sala de cinema após o fim das sessões. O problema é que, diferente do que acontece em cinemas normais, aquela coisa grudenta na cadeira provavelmente não é refrigerante! Pelo menos você pode assistir a filmes pornô de graça e provavelmente seria bem popular com seus amigos. embora não quisesse nem devesse falar sobre o trabalho com a sua mãe ou esposa.


• Masturbador de animais
 Pesquisadores que precisam de esperma animal para estudos de fertilidade ou de inseminação artificial têm algumas opções. e nenhuma é atraente. Eles podem colocar uma sonda elétrica pelo reto do animal, colocar uma vagina artificial no pênis do animal ou, a opção mais clássica: estimulação manual. A primeira opção, chamada de eletroejaculação, manda sinais elétricos aos órgãos reprodutivos do animal. Já a vagina artificial é um tubo de látex coberto com lubrificantes mornos, e é geralmente usada para conseguir esperma de bovinos considerados mais perigosos.

Quando o touro, por exemplo, fica pronto para reproduzir, um corajoso técnico se coloca entre ele e a fêmea e encaixa a vagina artificial e fica segurando até que o animal ejacule. Além disso, três pessoas seguram o animal com cordas de restrição, mas não é incomum que pessoas que trabalham com isso sejam mandadas ao hospital com ferimentos. Já a terceira técnica é mais utilizada com porcos, que não treinados desde jovens para montar em um pequeno banco, enquanto o pesquisador realiza o seu trabalho nada divertido.




• Preparador de material de aulas de ciência 
 Eles matam, cortam e engarrafam os animais que as crianças cortam em suas aulas de ciência na escola. São oito horas por dia respirando substâncias tóxicas usadas para preservar tecidos de animais como sapos, gatos, pombas, tubarões e até baratas


• Guarda do Palácio de Buckingham
 Trabalhar como guarda no Palácio de Buckingham é considerado um dos piores trabalhos do exército britânico.

Além de ter que ficar em pé durante várias horas, sem nem poder rir, você também tem que ficar completamente apresentável. Os guardas do Palácio passam várias horas antes do trabalho limpando e passando os uniformes e polindo as botas, se preparando para as várias inspeções que sofrem antes de entrar para o trabalho. Qualquer soldado que tiver o uniforme com uma aparência menos que perfeita pode sofrer várias punições, como horas extras forçadas.


• Juiz de odores de flatulência
 Julgadores de odores são comuns em pesquisas de empresas que produzem produtos de higiene bucal, em que pessoas trabalham cheirando o hálito de voluntários para testar a eficácia do produto. Porém, o gastroenterologista Michael Levitt pagou a duas pessoas para cheirar a flatulência de várias pessoas. Mais especificamente, de outras 60 pessoas, que tinham que comer feijão e inserir um tubo de plástico no ânus (outra tarefa desagradável).

Depois de cada “episódio de flatulência”, o odor era levado a um recipiente que mantinha a integridade do cheiro. Os juízes sentaram com ao menos 100 amostras, que foram devidamente cheiradas e classificadas quanto ao mau cheiro. Levitt não revela quanto as pessoas receberam para realizar este trabalho, mas é quase certeza que não foi o suficiente.

• Pesquisador de mosquitos (no Brasil)
 Cientistas que lutam contra a malária têm que estudar os hábitos do mosquito que espalha a doença. No Brasil, a espécie deste mosquito é a Anopheles Darlingi, que não cai em armadilhas como o mosquito africano que espalha a mesma doença. O aproveitador mosquito brasileiro só se aproxima dos cientistas quando eles aparecem como presas.

O pesquisador Helge Ziegler afirma que já se colocou no menu do Anopheles no mínimo duas vezes por semana enquanto pesquisava o mosquito no Brasil. Na época, ele afirma que capturava, no máximo, 500 mosquitos em três horas. Nesse tempo, é claro, os mosquitos realizavam um banquete de seu sangue, com uma média de 3 mil mordidas ao fim da sessão de trabalho. Além de sofrer com as mordidas, os pesquisadores correm o risco de contrair malária, mesmo tomando medicamentos profiláticos. Ziegler conta que, em uma de suas expedições, pegou uma malária que demorou dois anos para ser curada.


• Limpador de banheiros portáteis
 Este trabalho é uma espécie de coletor de lixo e gastroenterologista, e é uma mistura muito mais nojenta que a soma dessas duas profissões. Quase todo mundo evita ter que usar um banheiro móvel, mas às vezes a necessidade é grande, e esses banheiros públicos são uma ótima salvação. e seriam muito piores sem as pessoas que têm que limpá-los. Utilizando um tanque e um aspirador a vácuo, os limpadores têm que sugar todo o excremento de um banheiro público. Depois, limpam as superfícies do banheiro, inclusive as paredes. Não é um trabalho tão demorado nem difícil, e a maioria dos zeladores destes banheiros limpa de 10 a 60 unidades por dia. O problema é quando os banheiros tendem a virar, o que causa muitos problemas… Ainda assim, as pessoas que limpam banheiros móveis têm salários de até 50 mil dólares (aproximadamente 86 mil reais) anuais. mais de 7 mil reais mensais! (Só não sei quanto eles ganham aqui no Brasil. rsrsrs)




Conhece algum pior que essas?


Deixe seu comentário!

Adaptadado de: Pop Science e oddee.com

0 comentários:

Postar um comentário