Teoria da Evolução - Contestando

 Sempre me perguntei se a teoria darwiniana era verdadeira ou não. Como biologia nunca foi o meu forte eu busquei muitas explicações para a refutar essa idéia ou para comprová-la. O que achei foi inumeras contestações, não religiosas, mas científicas acerca do assunto.
Conversando com alguns colegas eu lembro de que muitos não aceitavam de maneira alguma o homem ter surgido do macaco. Algumas questões como porque só o homem evoluiu ou porque nenhum elo entre o homem e o macaco está vivo são algumas questões que ficam nas cabeças das pessoas. Essa teoria é muitas vezes criticada pois casos como da vez em que um cientista que disse que o homem de Nebraska era um elo perdido mas foi uma fraude pois sua base foi em um único dente de um tipo raro de porco.O Instituto Discovery publicou em 2001 pela primeira vez uma lista com mais de 800 nomes de cientistas com nível de PhD (Pós doutorado) que não aceitam a teoria de Darwin sobre a evolução. Entre eles estão mais de 200 biólogos e outros doutores formados em física, química, matemática, medicina, entre outras matérias que tem relação com o assunto. Muitos são professores ou pesquisadores em importantes universidades e instituições de pesquisas tais como o MIT, o Instituto Smithsoniano, a Universidade de Cambridge, a Universidade da Califórnia em Los Angeles, a Universidade da Califórnia em Berkeley, a Universidade de Princeton, a Universidade da Pensilvânia, a Universidade Estadual de Ohio, a Universidade da Geórgia e a Universidade de Washington. Algumas das declarações diz:
“Somos céticos a respeito das alegações de que as mutações randômicas e a seleção natural possam ser responsáveis pela complexidade da vida. Um exame cuidadoso das evidências da teoria Darwiniana deve ser encorajado”
Os darwinistas continuam a afirmar que nenhum cientista sério duvida da teoria. Contudo, aqui estão mais de 800 cientistas que estão dispostos a tornar público seu ceticismo acerca da teoria
disse o Dr. John G. West, diretor associado do Centro de Ciência & Cultura do Instituto Discovery.
Os esforços dos darwinistas para usar os tribunais, os meios de comunicação e os comitês acadêmicos para suprimir a dissidência e reprimir o debate estão na verdade inflamando mais dissidência ainda e inspirando mais cientistas a pedir sua inclusão na lista
 A teoria da evolução de Darwin é o grande elefante branco do pensamento contemporâneo
disse o Dr. David Berlinski, um dos signatários originais, que é matemático e filósofo científico no Centro de Ciência & Cultura do Instituto Discovery.
A teoria de Darwin é volumosa, quase completamente inútil, e objeto de veneração supersticiosa
David Berlinski, filosofo da ciência, Ph.D. em filosofia pela Universidade de Princeton, é também pós-doutorado em matemática e biologia molecular pela Universidade de Columbia, também é autor de vários livros e professor universitário.

Mas não é de hoje que os cientistas a contestam. Em 1871, St George Mivart levantou argumentos que continuam de pé contra o evolucionismo darwinista:
“O que caberia alegar (contra o darwinismo), poderia ser resumido da seguinte forma: que a “seleção natural” é incapaz de explicar os estágios incipientes das estruturas úteis. Que não se harmoniza com a coexistência de estruturas muito semelhantes, de origem diferente. Que há fundamentos para pensar que diferenças específicas podem ser desenvolvidas súbita, e não gradualmente. Que ainda é sustentável a opinião de que as espécies têm limites definidos, embora muito diferentes, para sua variabilidade. Que certas formas transicionais fósseis estão ausentes, quando se poderia esperar que estivessem presentes... Que há numerosos fenômenos notáveis em formas orgânicas sobre os quais a “seleção natural“ pouco tem a dizer” (Apud M. Behe, op. cit. p. 39).
Richard Goldschimidt, famoso geneticista, já na década de 1940 se mostrava desencantado com a teoria evolucionista darwiniana, chegando então a propor a teoria do chamado “monstro esperançoso”: um réptil, por exemplo, poderia ter um ovo do qual teria nascido uma ave. (Cfr, M. Behe, op. cit. p. 35). O famoso paleontólogo Nils Elredge - fundador com Jay Gould da teoria evolucionista do “equilíbrio pontuado” - declarou:
“Não é de espantar, que os paleontólogos tenham ignorado a evolução por tanto tempo. Aparentemente, ela jamais ocorre. A coleta cuidadosa de material na face de penhascos mostra oscilações em ziguezague, pequenas, e uma acumulação muito rara de leves mudanças -- no decorrer de milhões de anos, a uma taxa lenta demais para explicar toda a mudança prodigiosa que ocorreu na história evolutiva. Quando vemos o aparecimento de novidades evolutivas, isso ocorre em geral com um estrondo e, não raro, sem nenhuma prova sólida de que os fósseis não evoluíram também em outros lugares! A evolução não pode estar ocorrendo sempre em outros lugares. Ainda assim, foi dessa maneira que o registro fóssil pareceu a mitos desesperados paleontólogos que queriam aprender alguma coisa sobre a evolução“. (M. Behe, op. cit., p. 36).
E a lista não para por aí. Com isso eu vejo que a Ciência está loge de um consenso em suas teorias e mitos, e que as pessoas devem contestar ou procurar ver o outro lado antes de adotar qualquer idéia como verdade. E vocês leitores o que acham? Comentem e para mais esclarecimentos visitem os sites de onde tirei a ideía e adaptei algumas coisas e de onde tirei as citações:


Almeida, Fedeli, Vanini, - "Evolucionismo: dogma científico ou tese teosófica?"
MONTFORT Associação Cultural

0 comentários:

Postar um comentário