Passos Simples para uma Boa Saúde


As novas pesquisas continuam a provar a importância da nutrição e dos suplementos. Desde a década de 1990, pesquisas na área de nutrição vêm produzindo grande quantidade de estudos que oferecem evidências incontestáveis que determinados alimentos e nutrientes podem
ajudar a prevenir, retardar ou mesmo reverter doenças graves. Muitos cientistas e especialistas outrora céticos agora acreditam que a quantidade correta de vitaminas e minerais pode aumentar as chances de uma pessoa ter uma saúde excepcional.


As vitaminas são essenciais para regular as funções metabólicas dentro das células, bem como os processos bioquímicos que liberam a energia dos alimentos. Com poucas exceções (notavelmente as vitaminas D e K), o corpo não pode produzir vitaminas por conta próprias; elas devem, então, ser ingeridas sob a forma de alimentos ou suplementos nutricionais. Os minerais são necessários em uma larga gama de processos vitais, desde a formação básica dos ossos ao funcionamento normal do coração e do sistema digestivo. Da mesma maneira como acontecem com as vitaminas, as pessoas devem repor os estoques de minerais com alimentos ou suplementos.

Evidências comprovam que certas vitaminas também agem como antioxidantes – substancias que protegem os tecidos de danos celulares e que possivelmente ajudam a prevenir algumas doenças degenerativas. Muitos minerais têm sido associados à prevenção de câncer e outras doenças crônicas. Os alimentos são as principais fontes dessas vitaminas e minerais.

A sabedoria convencional sustenta que, se uma pessoa saudável comer o suficiente para evitar deficiências nutricionais específicas, ela não precisa completar a dieta – tudo o que deve fazer é consumir alimentos em quantidades que atendam às necessidades diárias recomendadas de vitaminas e minerais. Mas, mesmo que você concorde com os padrões ideais sugerido pelos especialistas, evidências comprovam que a maioria não chega nem perto de atingir esses requisitos nutricionais. De acordo com uma revisão de dados conduzida por especialistas na Universidade da Califórnia em Berkeley, as pessoas costumam fazer escolhas alimentares pobres do ponto de vista nutricional. E isso não é não é diferente no Brasil. Uma pesquisa nacional realizada em 2007, em que foram ouvidas mais de 2,4 mil pessoas, concluiu que os brasileiros consomem menos vitaminas essências para a saúde do que recomenda a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A alimentação média do brasileiro acima de 40 anos deixa a desejar nos quesitos minerais e vitaminas. Quase um terço dos pesquisados tem uma dieta desequilibrada e um quarto consome gorduras demais. As pessoas são mais propensas a optar por batatas fritas em vez de brócolis e refrigerantes no lugar de leite desnatado, por exemplo. Esses alimentos não apenas contribuem para excesso de gordura e açúcar na dieta com também resultam na ingestão precária, abaixo dos níveis ideais, de vitaminas, minerais e fotoquímicos que combatem doenças.
Mesmo com o melhor dos planejamentos nutricionais, é difícil manter uma dieta que atenda às recomendações dos órgãos de saúde relativas a todos os nutrientes. Por exemplo, os vegetarianos, que com um grupo, são mais saudáveis do que os comedores de carne, podem ter deficiências de alguns nutrientes como ferro, cálcio e vitamina B12. E a maioria das pessoas que tenta manter uma dieta com baixo teor de gordura tem problemas em conseguir, apenas com a alimentação, as quantidades de vitamina E recomendadas, pois muitas das fontes dessa vitamina são ricas em gordura. No caso de pessoas que são, de maneira geral, saudáveis mas não conseguem ter uma dieta diária balanceada, um suplemento pode preencher essas lacunas nutricionais ou mesmo transformar os nutrientes consumidos de adequados em idéias. Você deve conversas com o seu médico antes de usar qualquer suplemento.



0 comentários:

Postar um comentário