Cuide da fonte de sua criatividade

É preciso cuidar da fonte de criatividade. Aproveite todas as chances de exercitá-la e fique atento às coisas importantes nesse processo.

Em vez de se concentrar apenas nas tarefas de seu cargo, comece a avaliar os seus resultados, tanto econômicos como financeiros.


Cada vez mais se fala em gestão de competências, e a busca de resultados faz parte de qualquer cargo. Pergunte-se ?Que resultados eu trouxe hoje para a minha empresa, para a minha vida?

Quando escolher um treinamento que desenvolva a criatividade, fique atento aos que desenvolvem as quatro etapas: desbloqueio, criação, medição de resultados e inovação.

Ame o equívoco. De acordo com o livro ‘O Espírito Criativo’, o equívoco é uma lição, uma informação valiosa sobre o que se deve tentar em seguida.

A fórmula dos corantes artificiais foi descoberta quando o químico britânico Willian Perkins tentava criar um químico sintético.

Muitas vezes as pessoas desistem porque têm medo de errar. Os erros podem ser embaraçosos mas, se não arriscar, deixará de aprender ou criar algo original.

Nunca desista! Sabe qual deveria ser o guru do criativo? Wile E. Coyote. Isso mesmo, aquele coiote que passa 24 horas perseguindo o Beep Beep, dos desenhos da Warner.

Mesmo sendo massacrado, ele continua tentando. A postura do criativo deve ser essa. Tentar sempre, procurando sofrer menos que o coiote, e trabalhar em muitas idéias simultaneamente.

Quando transita entre várias idéias, as chances de descobrir soluções aumentam. Santos Dumont não inventou apenas o avião e o relógio de pulso.

Sua casa em Petrópolis é um museu aberto e quem tiver a oportunidade de visitar, pode constatar suas muitas invenções além dos projetos com todas as etapas da criação.

Olhe como se olhasse tudo pela primeira vez. Pergunte-se: ‘O que está aí que eu não estou vendo?’. Veja além, amplie o cenário e a percepção. Ver bem não é ver tudo, é ver o que os outros não vêem.

Voe, mas não se engane. As idéias podem surgir do nada, mas avalie quanto tempo para implementar, quais os custos par a você, para a empresa e para o mundo.

Se você tem idéias maravilhosas, mas reclama que não tem capital, saiba que o dinheiro é parte integrante da idéia. Se você acredita muito na idéia, venda para quem tem capital.

É preciso muito trabalho e persistência para realizar seus ideais. Como disse o violinista Pablo de Sarasate: “Pratiquei 14 horas por dia, durante 27 anos. Agora eles me chama de gênio!”

Muitos não terão a paciência de ouvir uma nova idéia, outros logo dirão que não dará certo, sem deixar a idéia desdobrar. Arme-se com entusiasmo!

Como disse Ralph Waldo Emerson: “Em toda obra de gênio, reconhecemos nossas próprias idéias rejeitadas”.

(texto de Margot Cardoso, publicado na Revista VENCER!)

via

0 comentários:

Postar um comentário