Conectividade entre TVs deve massificar a tecnologia 3D


Com a lenta e gradual consagração da tecnologia  3D, que teve neste ano um marco de expansão nos cinemas e na televisão, muita gente se pergunta sobre o futuro desse aparato. Muitos produtores de televisão deram um passo à frente, e passaram a investir na construção de aparelhos preparados para o 3D.
A venda desse produto ainda não foi massificada, como reconhecem as empresas, devido ao custo relativamente elevado, à necessidade dos óculos 3D e a ainda baixa programação de conteúdo para essa plataforma. 
Afinal, o que está faltando para a televisão 3D decolar no mercado?

Uma das tais empresas, Display Search, garante conhecer a chave desse enigma. Eles afirmam que a medida a ser tomada para massificar a produção e consumo das TVs em 3D está na conectividade. Explicamos: TVs conectadas em rede têm a capacidade acessar conteúdo que geralmente só é disponível para usuários de Internet e de aparelhos móveis, como iPhones e até celulares comuns. TVs conectadas, por sua vez, podem acessar inclusive sites como o YouTube, e uma estimativa da empresa afirma que 40 milhões desses aparelhos foram vendidos somente neste ano. Para 2018, eles projetam que esta taxa esteja em no mínimo 118 milhões.

Com a conectividade, afirmam os empresários, pode-se preparar o mercado para massificar a T V em 3D, devido às ligações com plataformas digitais, como YouView, Hbb.tv e VuDu. Uma vez que esteja alcançado o objetivo de fazer as televisões falarem em uma mesma “linguagem digital”, o segmento deve sofrer uma abrupta ampliação.


Fonte: [Daily Tech]




.

0 comentários:

Postar um comentário